Asgard - A saga dos nove reinos

Asgard - A saga dos nove reinos

2011-03-18 19:10


Natasha a vampira...

Natasha a vampira...
à espreita, esperando os desavisados...

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Arrependimento

Andando pela madrugada, Leslie ficava atenta a tudo e procurando por algo... continuava a caminhar nas ruas frias de Nova York, comida não queria já havia se alimentado e muito bem, tanto que até desperdiçou o último gole, pensou no desperdí­cio mas enfim já estava saciada, largando os corpos à margem do lago foi andando, queria encontrar algo... algo que de alguma forma a chamava... Seguiu seus instintos, nem o cheiro pútrido dos esgotos a confundia, seus caninos brilhavam, a lua estava grande no céu, para muitos namorados a hora ideal de se amarem, mas para ela era inspiração, e a hora exata de encontrar o alguém que há muito tempo esperava.
Parou em frente a uma boate, as escadas escuras convidaram-na para uma noite agitada, o local estava cheio e tudo alí­ cheirava a bebida e cigarro e... sexo, coisas que há muito tempo não mais incomodavam, desceu e entrou pela portinha de vidro, o lugar pareceu pequeno do lado de fora, mas a surpreendeu por dentro, estava lotado, pessoas se amontoavam no salão, a música forte fazia todos ficarem ouriçados e desatentos, pensou na última refeição que teve ha uns quatro quarteirões atrás, alí­ a comida era abundante e jovial, não que as prostitutas estivessem em más condições, afinal, sangue é sempre sangue.Andou um pouco no meio do povo que pulava e gritava, Leslie achou aquilo muito engraçado, tem horas que a raça humana deixa um pouco a consciência de lado, investigando a mente de alguns ela constatou que o que os mantinham alí­ era a chance de sexo fácil, deprimente até o que alguns pensavam, continuou seguindo e no canto escuro da boate sentiu a presença dele, andou mais alguns passos e ficou de frente a ele, Lucian, fitando-o.

- Ora ora, finalmente o achei. - disse Leslie sorrindo.
- Não sabia que estava me procurando.. . - respondeu Lucian sarcasticamente.
- Porque você sumiu? porque não falou comigo? porque não me procurou?... porque você tem tanto medo? -Ao mesmo tempo que falava, ela puxou a cadeira empurrando a garota que o acompanhava e sentando-se em seguida olhando-o friamente, a garota quis reclamar, mas o olhar de Lucian de reprovação a impediu.
- Vamos Lucian, estou esperando, quero uma explicação. -ordenou a vampira.
- Sua protegida não te faz mais tanta falta? - instigou Lucian.
- Minha protegida... hum, não entendi porque fez aquilo, porque teve que matá-la? seria ciúme?
- Ciúme minha cara? Não confunda ciúme com vingança!
- Gosto do seu tom de voz... - terminou Leslie.

Todos alí­ nem sabiam o que os aguardava, Leslie estava se controlando, mas se não pudesse mais sabia que iria partir pra cima de Lucian e aquele lugar ficaria destruí­do em minutos, de repente era o que ele contava que acontecesse, de alguma forma ele queria que a vampira se revelasse... Leslie por sua vez, ainda gostava de Lucian, seu pupilo, mas que não havia aprendido nada do que ela ensinara, a marca disso tinha sido a pequena Helena, somente sete anos, mas que a sede do vampiro novato não tinha deixado escapar, e à beira da morte Leslie achou a garota e ficou com ela, no iní­cio para talvez expiar o erro de seu filho da noite, e depois por afeição.
A vampira ensinou tudo o que Helena precisava aprender e depois de um tempo juntas seu pupilo havia retornado pedindo perdão e um abrigo, ela mesmo não acreditando em seu arrependimento por haver fugido acolheu-o e num descuido da vampira Lucian despedaçou a garota e depositou-a dentro do próprio caixão de Leslie e fugiu novamente... agora alí­ naquele lugar, toda raiva se aflorava ao pensar na garotinha, pois mesmo sendo uma vampira, ela nunca matava por matar, somente para saciar sua sede e somente do sangue mais vil da raça humana, a escória, prostitutas e bandidos eram seu banquete.

- Porque faz isso... porque quer tanto se mostrar? - continuou secamente a vampira.
- Porque eles tem que saber que são somente gado, refeição e respeitar os verdadeiros predadores.. . eles tem que saber quem estão no topo da cadeia alimentar de verdade. - respondeu Lucian entredentes e raivoso.
- Eu também tive essa rebeldia um dia, e passou, como eu esperei que acontecesse contigo, mas estou vendo que você não tem jeito, não dá pra continuar fechando os olhos pras suas burradas Lucian... pelo caminho eu vi vários de seus erros, humanos vivos, mordidos, sabendo demais sobre nós... não sei o que fariam com essa informação, mas isso é uma coisa que não deve acontecer.
- Será que você encontrou todas as ví­timas "mamãe". - completou ironicamente.
- Bom, se não tiver encontrado também não faz mal, eu te dei o dom da vida eterna, erradamente. .. agora eu sei, mas não te dei o dom de transformar alguém, acha que eu seria descuidada a esse ponto?

O vampiro franziu a testa não sabia disso, agora tinha ficado enfurecido demais, pois Lucian pretendia formar o seu exército particular de mortos-vivos, queria assolar a face da terra com sua maldição, e pensou que estivesse conseguindo. .. por sua vez Leslie notou que havia tocado num ponto vital, e achou graça na cara de ódio que agora seu pupilo lhe mostrava.

- Quer dizer que você queria fazer seus próprios filhos das trevas? - indagou Leslie num tom sarcástico e continuou. - Não Lucian querido, não te dei essa chance sabe porquê? Pra não acontecer contigo o que está agora acontecendo comigo, ter que eliminar um filhote rebelde e sem respeito nenhum para com sua senhora...
- Grrrr... sua vadia! Porq... - O vampiro com raiva falou salivando.
- Tsc, tsc, tsc... tadinho... Os dois ficaram se olhando por algum tempo, sem nada falarem, por dentro Lucian espumava de ódio da vampira e Leslie aguardava somente um momento para decidir o que faria, a boate estava lotada e seriam muitas as testemunhas, ela náo queria entregar sua verdadeira natureza alí­ no meio de tanta gente, achava que os humanos não estavam preparados para tal revelação e nunca estariam na verdade, pois nunca aceitariam a condição de serem somente alimento para seres de sua espécie e com isso viriam mais caçadores e mortes desnecessárias, derramamento de sangue sem precisão, na sua concepção, estava muito bom como estava, eles seres noturnos se escondendo no véu das trevas e os humanos nunca teriam seu conhecimento como até agora estava sendo.
Do balcão a garota que acompanhava Lucian estava indignada por ter sido retirada tão abruptamente de seu lugar, mal sabia que Leslie havia salvo sua vida, e olhando os dois de onde estava ficou torcendo para que a vampira levantasse e fosse embora... Leslie vendo que Lucian não estava se importando com nada, percebeu que ele iria se levantar e começar uma batalha alí­ mesmo no meio de todos e de repente, rápida como um raio segurou sua mão com força impedindo-o de se levantar, sentou-se ao seu lado e segurando-o forte sussurrou...

- Se eu fosse você ficaria quietinho, não teste minha paciência Lucian, tem muita gente aqui mas nada me impede de acabar com você aqui mesmo, e então o que vai ser? Vamos sair?

O vampiro parou de se debater e levantou-se junto com sua senhora, caminhou alguns passos e de repente tudo ficou escuro novamente, a música havia recomeçado, Lucian tentou se soltar, a vampira vendo que não tinha jeito, abraçou-o forte, ele percebeu o que ela faria e tentou chamar atenção, Leslie calou-o com seu beijo, a garota do balcão ficou com tanta raiva que pegou a bolsa e saiu em disparada e deixou-o aproveitando seu momento, pensou ela, e Leslie continuou, enquanto o beijava e o dominava, uma lágrima molhava sua face... dentro dela doí­a ter que fazer aquilo com um pupilo tão querido, beijou-o longamente e quando Lucian já estava com a mente em seu poder ela finalizou o beijo e olhou bem dentro de seus olhos, no fundo deles ela viu algo parecido com um arrependimento finalmente, mas já era tarde, Helena estava morta e nada mudaria isso, ainda abraçado à ele Leslie afastou a gola de sua camisa e chegou com os lábios em seu pescoço gélido, mordeu, seus caninos entraram macios na pele do morto-vivo e doeram em seu coração, ou algo parecido com isso, mas ela continuou e sugou seu sangue até que seu corpo não aguentasse mais e fosse se desfazendo, ao redor ninguém notava, a bebida e o êcxtase eram tantos que passaram despercebidos até o final, quando terminou Leslie confundiu-se na multidão e sumiu, mas com uma certeza, nunca mais faria uma transformação novamente.

Beijos Eternos
Nat Vamp.

Um comentário:

Luciana disse...

Olá, tudo bem?
Eu estive ontem lá no Rio Sul, você me deu seu email para te add no orkut, mas não estou conseguindo... Confirma seu email para mim?
O meu email é luhviteze@yahoo.com.br Manda para esse email, ok?
Queria saber sobre as caravanas ^^
Vou ler os contos... :)